Equilibrar ganhos e despesas pode te ajudar a ter uma vida mais tranquila

Estamos o tempo todo sendo estimulados a consumir. Muitos cedem aos apelos da publicidade ou modismos e depois correm da fatura do cartão de crédito ou nem querem abrir o aplicativo do banco. Outros, tem suas finanças em ordem e vivem conforme suas possibilidades. E essa é a parte das finanças que podemos controlar… Imagine se você tiver uma necessidade repentina e não tiver reservas. Ou ainda, se uma oportunidade de comprar um bem de maior valor aparece, mas você não tem economias ou está com problemas financeiros que comprometeram seu crédito. Para não perder o sono e ter uma vida mais tranquila é essencial o planejar seus gastos e reservas.

Você sabe quanto é o seu ganho líquido? Aquele dinheiro disponível para pagamento de despesas essenciais, educação e lazer. Sabe ainda, quanto você gasta mensalmente com essas despesas? Se você fizer o cálculo agora. A conta fecha? Você se preocupa em fazer uma reserva?

Educação e planejamento financeiro são essenciais para ter uma vida mais tranquila hoje e garantir um futuro mais seguro. Realmente não é simples, pois demanda uma mudança comportamental. Mas a esmagadora maioria das pessoas que experimenta mudar seu estilo de vida, observando o cuidado com a área financeira, vive com menos preocupação.

Separamos 5 dicas para te ajudar a organizar as finanças e planejar o futuro e outras 5 dicas para aplicar no dia-a-dia:

  1. Identifique qual sua real renda e liste suas despesas e eventuais dívidas – essa atividade diagnostica sua saúde financeira
  2. Aplique a regra 50–15–35 – 50% dos ganhos destinados a gastos essenciais (moradia/ contas de consumo/ transporte/ educação) 15% dedicados à sua saúde financeira – se houver dívidas, este é o montante destinado ao seu pagamento. Se não houver dívidas, o próximo passo é criar um fundo de emergências. E se você já tiver este “colchão” para cobrir qualquer eventualidade, está na hora de poupar. Sempre observando as prioridades! 35% – destinados aos gastos com lazer e qualidade de vida, como academia. Ah, e não vale cortar esse item. Lembre-se que planejamento financeiro deve considerar além das finanças, sua saúde, bem-estar e qualidade de vida.
  3. Viva de acordo com sua situação financeira – considere sua renda e aplique a fórmula do 50-15-35. Como exemplo, sabendo quanto você pode gastar com transporte ou com moradia fica mais simples identificar o padrão do bem ou bens que você tem condições de adquirir. Se seu desejo não se adequa a sua renda, que tal pensar em formas de ganhar mais de maneira sustentável? Afinal, viver de aparências pode tirar o sono, deixar você doente e até destruir sua família.
  4. Tenha Metas financeiras – Fazer financiamentos planejados com juros estabelecidos é uma forma de adquirir bens de maior valor. Mas pegar empréstimo em banco para cobrir contas mensais é uma loucura. Considerando isso, não dever já é uma meta. Se esta for sua situação, planeje-se para o pagamento. Negocie e até faça portabilidade de dívida, nas categorias possíveis. Depois de equilibrar as receitas e despesas, busque criar um fundo de reservas e só então planeje-se para poupar. O importante é estabelecer menores metas mensais e anualmente criar uma grande meta financeira.
  5. Juntou algum dinheiro? Invista! – você pode consultar o banco onde é correntista, mas existem operadoras de investimentos que podem te ajudar a fazer as melhores escolhas, conforme seu perfil e tempo que pode deixar o dinheiro em um investimento. Importante – sempre procure saber sobre Taxa de Administração, desconto de IR e riscos dos investimentos

Parece difícil, mas com um pouco de dedicação você colocará esse planejamento em prática. Se você conseguir influenciar as pessoas mais próximas, isto se tornará mais simples e prazeroso, pois juntos começarão a ver os resultados.

Ah, e se quiser experimentar os resultados do planejamento financeiro, vendo rapidamente resultados, sugiro que aplique as dicas abaixo e depois de 15 dias veja o descritivo diário de gastos. Depois tente fazer ajustes por mais 15 dias e no final de 1 mês já sentirá a diferença:

  1. Baixe um aplicativo de controle de gastos ou faça uma planilha, ou ainda, anote em um caderninho seus gastos diários. Do cafezinho, almoço, aquela blusinha ou aquele vinho baratinho… Tudo deve entrar na lista
  2. Sempre peça descontos
  3. Compare preços
  4. Quando possível, pague à vista
  5. Cartão de crédito é maravilhoso, observando as seguintes condições:

Tenha um teto mensal de gastos com o cartão

Utilize apenas se não houver desconto à vista

Prefira cartões com programas de milhas

Negocie a anuidade do cartão

Não caia no crédito rotativo

No início demandará mais tempo, mas com o passar dos dias, se você mantiver a motivação, esse olhar sobre as finanças se tornará um hábito. Além disso, quando mês a mês você começar a ver os resultados no bolso, ficará mais simples manter o controle.

Consumir com consciência tem um impacto maior que o financeiro! Para quem tem filhos, ajuda a educar estabelecendo prioridades e controles. Para o planeta, quando consumimos com consciência, utilizamos melhor os recursos naturais. Com as finanças em dia ficamos mais “leves”. Sem cobranças e preocupações financeiras eliminamos um importante fator de estresse.

Com as finanças em dia temos mais liberdade. Pense nisso e veja nossos outros artigos sobre planejamento financeiro e melhores escolhas para se morar, aqui no Blog da Choice Negócios Imobiliários – http://choicenegociosimobiliarios.com.br/blog/

 

Cristina Tosta Mosciaro